terça-feira, 31 de outubro de 2017

Com inflação menor, projeção para salário mínimo cai para R$ 965

Fonte: Folha de S.Paulo
O governo alterou a projeção para o salário-mínimo em 2018, cujo valor definitivo só será conhecido ao final deste ano. Nas mudanças da proposta de Orçamento apresentadas nesta segunda-feira (30), a regra de correção aponta o valor de R$ 965 para 2018. Em 2017, o mínimo está em 937.

Em abril, a projeção apontava um valor de R$ 979,00 no ano que vem, considerando a previsão de inflação da LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias).
Quando enviou a proposta para a LOA (Lei Orçamentária Anual) de 2018 ao Congresso em agosto, o valor havia recuado para R$ 969,00.

Por lei, o reajuste do salário mínimo tem que ser feito com base na inflação apurada no ano anterior e na variação do PIB (Produto Interno Bruto) de dois anos antes. Em 2016, o PIB encolheu. A regra de correção aprovada no Congresso é válida até 2019.

O valor de 2018, portanto, só será conhecido ao final de 2018, com base na inflação acumulada até novembro e em uma projeção do governo para dezembro, e valerá a partir de 1º de janeiro do próximo ano.

O governo federal estima que o INPC será de 3,1% em 2017, previsão menor que a feita em agosto (3,5%), quando foi enviado o projeto da Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2018, que define as despesas do próximo ano.

Em abril, quando apresentou a proposta da LDO, a projeção estava em 4,5%. No acumulado deste ano, até setembro, o INPC está em 1,24%. 

RaiaDrogasil lucra R$ 136,5 mi no 3º trimestre, alta de 16,8%

Fonte: Exame.com
A RD, antiga Raia Drogasil, fechou o terceiro trimestre com lucro líquido de R$ 136,5 milhões, um crescimento de 16,8% na comparação com o mesmo período de 2016.
A margem líquida da companhia entre julho e setembro ficou em 3,8%, mesmo índice registrado um ano antes.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado somou R$ 296,5 milhões no terceiro trimestre, um avanço de 16,7% em relação ao mesmo período do ano passado. A margem Ebitda ficou estável em 8,3%.
Em nota explicativa, a RD afirma que a queda da margem bruta da companhia foi compensada pela diluição de despesas, o que resultou em ganho de eficiência, e “será fundamental para apoiar a expansão da margem nos próximos trimestres”.

A receita bruta da RD somou R$ 3,58 bilhões, um aumento de 17,4% na comparação anual. As despesas financeiras totalizaram 0,8% da receita bruta, retração de 0,2 ponto porcentual em relação ao terceiro trimestre do ano passado.

Saiba mais sobre a febre amarela

Doença deve ser prevenida com vacina
A febre amarela voltou a ser bastante discutida após o aumento de casos no Brasil. Entre os sintomas da doença estão calafrios, dores de cabeça, nas costas e o no corpo, náuseas e vômitos, fadiga e fraqueza. Saiba mais sobre a patologia e oriente corretamente o paciente.

Como a febre amarela é transmitida?
Pela picada de mosquitos portadores do vírus de febre amarela. Em regiões de campo e floresta, o principal mosquito transmissor é o Haemagogus. O Aedes aegypti também pode ser um transmissor, principalmente na forma urbana da doença. A febre amarela não é transmitida de pessoa para pessoa.

Como a doença evolui?
Para a maior parte dos pacientes, os sintomas vão perdendo a intensidade a partir do terceiro ou quarto dia de infecção. Em alguns casos, no entanto, a doença entra em sua fase considerada tóxica.

Seu direito!

Conselho Nacional de Justiça - CNJ

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Doenças anteriores a filiação ao INSS não dão direito a auxílio-doença

A pessoa que se inscreve na Previdência Social já com uma doença não tem direito a auxílio-doença, se sua incapacidade for decorrente do mesmo problema de saúde.

Pela legislação previdenciária, nesse caso, o benefício só poderá ser concedido ao trabalhador se houver agravamento da enfermidade, comprovado por meio de exame médico-pericial no INSS. É o caso, por exemplo, de uma pessoa com problemas de visão que depois se transforma em cegueira. Além dessas exigências, é necessário que o trabalhador esteja contribuindo para a Previdência e tenha o número mínimo de contribuições necessárias à concessão do auxílio-doença.

Para ter direito ao auxílio-doença, o segurado tem de passar pela perícia médica do INSS que avaliará se existe incapacidade ou não para o trabalho. O trabalhador deverá comprovar no mínimo 12 contribuições recentes à Previdência. Essa carência só não será exigida nos casos de doenças graves previstas em Lei, como tuberculose ativa, hanseníase, cegueira, doença de Parkinson ou aids, e também nas situações em que a incapacidade para o trabalho for provocada por acidente de qualquer natureza.

Cartórios vão emitir passaporte, RG e carteira de trabalho

Passaporte, RG e carteira de trabalho poderão ser tirados também nos cartórios de todo o país. A medida deverá começar a valer ainda este ano. A ideia é dimunuir os transtornos para quem precisa emitir documentação, sem enfrentar filas nas repartições públicas e dar apoio a órgãos estaduais e federais na emissão dos documentos.

A novidade é possível graças às mudanças na Lei de Registros Públicos. Sancionadas em setembro, as alterações permitem que os cartórios firmem convênios com órgãos federais, estaduais e municipais para auxiliá-los na emissão de documentos. “Para isso começar a vigorar é preciso firmar convênios com as entidades, mas a ideia é agilizar. Estamos contando que até final do ano já tenhamos o serviço”, comenta Elizabete Regina Vedovatto, diretora da Anoreg – Associação dos Notários e Registradores do Estado do Paraná .

Como vai funcionar 

quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Neocopan em gotas

A Neo Química disponibiliza ao mercado o medicamento Neocopan® – similar do Buscopan Composto® –, indicado para o tratamento de cólicas menstruais e dores na região da barriga, como, cólica renal e Síndrome do Intestino Irritado. O medicamento, feito à base de butibrometo de escopolamina e dipirona sódica, possui ação rápida e prolongada e pode ser usado por adultos e crianças, a partir de um ano de idade. Indicado para o tratamento de cólicas menstruais e dores na região da barriga

Você se imagina sem saber ler?

ENTRE NÓS
Jaime Porto
Presidente Sinprafarmas

Dados recentes do IBGE revelam que 8,3% da população brasileira com mais de 15 anos é analfabeta. Este percentual representa aproximadamente 13,2 milhões de brasileiros. É um dado triste, mas não inesperado num país onde os recursos para a educação são descaradamente desviados.

Interessante é que segundo relatório da Unesco, dentro das políticas públicas, isto é previsão de gastos com educação, o Brasil está dentro dos parâmetros recomendados pela agência, mas na prática o dinheiro não chega ao destino porque entre a liberação da verba e a escola está a corrupção de muitos governantes. Por isso há três anos, o contingente de analfabetos não diminui no país.

Além disso existem uma série de problemas no ensino no Brasil,  a qualidade do ensino é ruim, apenas 63% por jovens conclui o ensino médio, só 4% estão matriculados em cursos profissionalizantes e a falta de compromisso dos governantes atrasa a educação no país.

O relatório também aponta que prefeitos em fim de mandato sem chance de reeleição chegam a desviar 30% a mais dos recursos para educação do que aqueles que podem se reeleger. É uma pouca vergonha!


Assim, apesar do país ter planos e metas bem delineadas para os próximos anos, o desafio é colocar estes objetivos em prática. A educação é uma responsabilidade conjunta da sociedade, mas o Estado tem o dever e a obrigação de garantir uma educação de qualidade e fechar a torneira que desvia esses recursos para a política e os bolsos dos eleitos pelo povo, que preferem lidar com um cidadão manipulável que não entende o valor de seu voto a lidar com um cidadão capaz de tomar decisões conscientes capaz de mudar os rumos deste país.

Assédio Moral pode gerar...

Conselho Superior da Justiça do Trabalho - CSJT Brasil

quarta-feira, 25 de outubro de 2017

Cyclofemina volta a ser comercializado com chegada da Carnot Laboratórios

A Hemafarma Com. E Ind. Farmacêutica, filial brasileira da Carnot Laboratórios® do México, é o novo titular do registro do anticoncepcional injetável Cyclofemina® junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O medicamento está no mercado brasileiro desde 1997 e teve seu fornecimento interrompido em 2014.

A Carnot, fabricante do fármaco, abastece não somente seu mercado mexicano, mas de todos os países onde o produto está presente. Dessa maneira, retomou a venda no Brasil no início de 2015. Dessa forma, a empresa marca sua entrada no País e já aguarda a incorporação de outros medicamentos de prescrição que estão em fase de registro junto a Anvisa.

O medicamento tem alta eficácia com baixa carga hormonal, rápida recuperação da fertilidade, menor incidência de dor na aplicação e mínima alteração de peso para as pacientes. A partir do próximo ano, a embalagem de Cyclofemina® será modernizada e incorporará todas as informações de registro do titular.
Fonte: Assessoria de Imprensa Hemafarma (Imagem Corporativa)

Brasil não cumpre meta de erradicar trabalho infantil até 2016

Fonte: Agência Brasil
O Brasil não cumpriu o objetivo de erradicar o trabalho infantil até 2016 e tem risco de não conseguir acabar com essa prática até 2025, mostra relatório sobre o tema, elaborado pelo Fórum Nacional de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil (FNPETI) e pelo Ministério Público do Trabalho.

De acordo com o levantamento, o índice continuaria caindo, mas restariam ainda 546 mil crianças e adolescentes trabalhando em 2025. Esse cenário não é suficiente para que o objetivo estabelecido seja atingido. “Apesar dos consideráveis avanços alcançados pelo país nos últimos anos, com a redução do percentual de crianças e adolescentes trabalhadores, sobretudo no mercado formal, ainda persistem muitos desafios, principalmente no mercado informal e nas ocupações classificadas como piores formas, a exemplo do trabalho infantil doméstico e muitas atividades agrícolas", destaca o texto.

Um dos desafios está na faixa de 5 a 9 anos, marcada por um movimento de crescimento dessa prática. Em 2013, 61 mil crianças nessa faixa etária estavam trabalhando; em 2014, 70 mil, e, em 2015, 79 mil. Meninos e meninas nessa faixa, em geral, trabalham em locais como lixões, casas de famílias, fazendas, sítios e outros espaços agrícolas.

Entenda a terapia de reposição de nicotina

A nicotina causa dependência do cigarro* e o torna agradável. É uma substância que ocorre naturalmente no tabaco. Ao tragar a fumaça do cigarro, uma grande quantidade vai para os pulmões e passa para o sangue, atingindo o seu cérebro em alguns segundos. No cérebro, a nicotina causa a liberação de substâncias que dão a sensação de prazer e o relaxam momentaneamente. É a rápida liberação de nicotina no cérebro que promove a sensação de prazer.

Quando você fuma por muito tempo, o cérebro se modifica e começa a esperar a nicotina. Ao fumar, você inala nicotina e, com o tempo, seu cérebro aumenta o número de novos receptores ávidos por nicotina.

Quando você para de fumar, os receptores deixam de receber a nicotina de que precisam e gritam por mais. É por isso que você sente o desejo intenso de fumar e os sintomas da síndrome de abstinência, tais como irritabilidade e inquietação, que podem acabar com a sua força de vontade.

Um mito popular sobre o fumo é que a nicotina do cigarro causa câncer e outros riscos à saúde. A verdade é que, além da nicotina, o cigarro contém mais de 4.000 substâncias químicas, sendo que pelo menos 50 aumentam o risco de câncer.

Ministra Rosa Weber suspende portaria sobre trabalho escravo

Fonte: Agência Brasil
A ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), concedeu liminar (decisão provisória) suspendendo os efeitos da Portaria 1.129, do Ministério do Trabalho, que alterou a conceituação de trabalho escravo para fins de concessão de seguro-desemprego. 

A decisão da ministra foi dada em uma Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) aberta pela Rede na semana passada. Rosa Weber acatou os argumentos do partido de que a referida portaria abre margem para a violação de princípios fundamentais da Constituição, entre eles, o da dignidade humana, o do valor social do trabalho e o da livre inciativa. 

Para a ministra, ao “restringir” conceitos como o de jornada exaustiva e de condição análoga à de escravo, “a portaria vulnera princípios basilares da Constituição, sonega proteção adequada e suficiente a direitos fundamentais nela assegurados e promove desalinho em relação a compromissos internacionais de caráter supralegal assumidos pelo Brasil e que moldaram o conteúdo desses direitos”. 

terça-feira, 24 de outubro de 2017

Aqui tem farmácia popular

Fonte: Febrafar
O Ministério da Saúde enviou ao Congresso Nacional o Projeto de Lei Orçamentária Anual – PLOA – que prevê um aumento nas verbas direcionadas ao Programa “Aqui tem Farmácia Popular”. Com a aprovação do orçamento estará garantida a continuidade da oferta efetiva de medicamentos para o tratamento de doenças como diabetes, hipertensão e asma.

Segundo a nota enviada pela assessoria de imprensa: “O Ministério da Saúde informa que de acordo com a PLOA 2018, que está em tramitação no Congresso Nacional, o orçamento previsto para 2018 é de R$ 3 bilhões. Cabe ressaltar que a proposta ainda precisa ser aprovada pelo Congresso. Em 2017, o orçamento aprovado foi de R$ 2,6 bilhões”.

Esse valor representa um aumento de 15,4% em relação ao ano passado, o que proporciona um novo ânimo diante as rodadas de negociações que estão sendo realizadas entre o Ministério da Saúde, a indústria farmacêutica e o setor de drogarias em função da busca de reajustes de valores.

“É importante observar que a previsão de orçamento para o ano que vem aumentou, o que significa que o programa continuará. Em relação às negociações, tenho como certo que acharemos um denominador comum que será interessante para todos os lados envolvidos”, explica Edison Tamascia, presidente da Febrafar e que faz parte da Comissão do Programa Farmácia Popular.
Cadastramento de novas lojas
Entretanto, apesar da projeção de maiores investimentos para 2018, ainda não há previsão para ampliação de lojas no programa, a não ser as que serão abertas em localidades que não possuem ainda estabelecimentos cadastrados.

O Ministério da Saúde informou em seu site que desde agosto está repassando as verbas das unidades da Rede Própria do Programa Farmácia Popular aos estados e municípios para que 100% seja utilizado na compra de fármacos destinados à população. Essa mudança visa a ampliar a oferta efetiva de medicamentos para o tratamento de doenças como diabetes, hipertensão e asma.

Outro ponto é que haverá a ampliação da rede do Programa “Aqui tem Farmácia Popular” em 18 municípios das regiões Norte e Nordeste. Nestes locais, serão reabertos o credenciamento de novas farmácias e drogarias para complementar a assistência farmacêutica da população

Remédios vivos: a nova aposta da medicina



Medicamentos de última geração mudam a vida dos pacientes
Falar que eles são o futuro da ciência não é muito adequado, afinal, eles já são uma realidade no mundo e no Brasil também. Mas os medicamentos biológicos são o que há de mais avançado na Medicina e continuam a melhor aposta dos pesquisadores da área, além de uma esperança de tratamento para várias doenças crônicas.

“Eles são a mais nova geração de medicamentos no mundo. São um grande avanço. Não são drogas, não causam dependência, têm baixos efeitos colaterais e exigem baixas doses para fazer efeito”, enumera o alergista José Carlos Perini.
Os biofármacos, como também são chamados, são produzidos de forma muito diferente dos remédios convencionais. A fabricação é complexa, a partir da manipulação genética de organismos vivos, e, por isso, são mais eficazes. E também muito mais caros.

No Brasil, milhares de pessoas já utilizam esses medicamentos pelo Sistema Único de Saúde (SUS), a maior parte deles vinda de fora. “Eles respondem por 51% do orçamento do Ministério da Saúde. Mas há multinacionais no país produzindo os biológicos. Estamos investindo em fábricas. O objetivo é a nacionalização da tecnologia, o que vai gerar, de início, 40% de economia”, diz Marco Sireman, secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde.

No Espírito Santo, pelo menos seis mil pessoas fazem uso de biofármacos sem pagar nada por isso. “São cerca de 50 tipos diferentes de biológicos para uma gama de doenças entre elas artrite reumatoide, diabetes, asma, hepatite”, cita a gerente de Assistência Farmacêutica da Secretaria Estadual de Saúde (Sesa), Gabrieli Fernandes Freitas.

Os biológicos não são vendidos em farmácias e também não podem ser ingeridos oralmente. A maioria é de uso subcutâneo, com aplicação feita em ambulatórios de hospitais.

Venda de medicamentos tem alta de 13,5% em agosto


O mercado farmacêutico brasileiro apresentou faturamento de R$ 13,95 bilhões em agosto desse ano, crescimento de 13,5% em comparação ao mesmo período o ano passado, quando o montante foi de R$ 12,3 bilhões. Os dados são da Associação Brasileira de Distribuição e Logística de Produtos Farmacêuticos (Abradilan).


No total, foram comercializadas 986 milhões de unidades no mês, alta de 4,5% em volume de medicamentos em relação a agosto de 2016.

Considerando somente as vendas feitas pelos distribuidores, o montante chegou a R$ 9,62 bilhões em agosto deste ano, um aumento de 12,9% ante o ano anterior.

A luta sindical contribui para melhorar a distribuição funcional da renda?

Fonte: DIAP/Cartilha Para que serve e o que faz o movimento sindical
Sim. A renda nacional dos países é constituída de cinco elementos, quais sejam:
renda do exterior, aluguéis, lucros, juros e salários.

A distribuição da renda é uma espécie de pizza ou gráfico com cinco pedaços. No curto prazo, se um aumentou é porque o outro diminuiu.

Vamos analisar cada um
Rendas do exterior são os pagamentos que as empresas e governos fazem pelo uso da propriedade intelectual ou do conhecimento por intermédio de royalties ou de patentes. Esse segmento – que depende da capacidade do país introduzir inovações em sua economia, resultantes de políticas de pesquisa, ciência e tecnologia que aliem essas atividades às atividades econômicas em geral – tem crescido muito e tende a crescer cada vez mais e, portanto, sua participação na renda só cresce nos países avançados. No caso do Brasil, por ausência ou deficiência dessas políticas, o crescimento desse setor da renda nacional tem sido negativo, ou seja, o país despende cada vez mais de recursos para pagar, sob a forma de royalties, direitos de patentes e de propriedade intelectual, aquilo que não produz internamente.

segunda-feira, 23 de outubro de 2017

Empresas mostram receio em adotar mudanças da reforma trabalhista

Fonte: Folha de S.Paulo
Com a resistência de juízes e procuradores às novas regras trabalhistas, as companhias têm demonstrado um maior receio de implementar parte das mudanças permitidas pela reforma.

A nova legislação passa a valer no dia 11 de novembro.
"A recomendação é que não haja mudanças abruptas. É importante que elas sejam discutidas com os sindicatos e atendam a requisitos formais de negociação, para facilitar uma eventual defesa no Judiciário", afirma Maurício Guidi, do Pinheiro Neto.

A percepção é que o embate será inevitável, e que as regras demorem até cinco anos até que sejam assimiladas pelas companhias, diz ele. "A discussão terá que chegar ao Supremo Tribunal Federal, mas a grande maioria dos pontos deve sobreviver."

A expectativa é que, ao menos em um primeiro momento, o número de ações aumente, segundo Flavio Pires, sócio do Siqueira Castro.

O trabalho intermitente é um dos pontos que não deverão ser aplicados no primeiro momento –ao menos até que haja uma regulamentação mais precisa do texto, diz o vice-presidente da FecomercioSP Ivo Dall Acqua Jr.

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Tabela de Pisos 2017/18


Quais são os pilares da organização sindical?

Fonte: DIAP/Cartilha para que serve e o que faz o movimento sindical
Os três pilares da organização sindical, segundo a Organização Internacional do
Trabalho – OIT são: 

(1) o direito de sindicalização, ou seja, a possibilidade das pessoas se organizarem, regimentalmente, em torno de uma entidade para a defesa e a promoção de seus interesses; 

(2) o direito de negociação, ou seja, a prerrogativa de estabelecer consenso sobre condições de trabalho e de participação dos empregados na riqueza produzida a partir de sua força de trabalho, promovendo a distribuição de renda de forma pacífica e pactuada e 

(3)
o direito de greve, como forma de pressão, que possa ser acionado na hipótese de o empregador se recusar a negociar ou negociar em bases inaceitáveis para os trabalhadores.

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Chatisse?

Entre Nós 
Jaime Porto 
Presidente Sinprafarmas BS

Apesar das crises candidato é o que não falta..... ser político profissional no Brasil é bom demais!!! Quem está lá não quer sair e quem está de fora só pensa em entrar....Afinal, como enricar neste paraíso tropical sem ser político, jogador de futebol ou artista na TV?

Interessante é perceber que a população, em geral, tem uma péssima imagem de seus governantes, que classifica como oportunistas, corruptos, ambiciosos e mais uma seqüência de adjetivos nada elogiosos.  E só pode ser assim mesmo, uma vez que eles roubam, desviam e enviam dinheiro ilegalmente para o exterior... e quando pegos pela policia federal ou pela receita, e comprovadas as acusações, basta que renunciem ao mandato e pronto... podem solicitar aposentadoria ao congresso e... nas próximas eleições podem concorrer novamente como se nada tivesse acontecido.

Pois é... eles são ruins, mas estão administrando publicamente porque foram eleitos pelo povo que lhes concedeu um mandato para representá-los, sem conscientização, pois, o eleitor brasileiro mediano não é bem informado, nem vota ideologicamente, não se interessando muito pelo assunto, que considera apenas uma “chatisse” a mais.

Essa premissa precisa mudar e mudar já. Sabemos que não é fácil escolher, pois, os recursos disponíveis para esconder as verdadeiras intenções do concorrente, são quase infinitos, a começar pela onipotência do dinheiro que envolve em magníficas molduras, muito caráter duvidoso. Mas, precisamos ter o trabalho de tentar encontrar pessoas que estejam de fato dispostas a trabalhar pelo bem comum, sendo um servidor dos demais, com uma dose de honestidade que seja capaz de vencer as tentações, mantendo sua conduta nos limites da justiça e do respeito pelo seu semelhante.  Precisamos mudar os políticos e as políticas brasileiras que influem e decidem nossas vidas diariamente!

Ano que vem tem eleições!

Brasileiros já pagaram R$ 1,7 trilhão em impostos em 2017, diz ACSP

Fonte: O Globo
O valor pago pelos brasileiros em impostos neste ano alcançou R$ 1,7 trilhão por volta de 8h desta quarta-feira (18), segundo o “Impostômetro” da Associação Comercial de São Paulo (ACSP). No ano passado, o mesmo montante foi registrado somente em 11 de novembro, o que revela crescimento da arrecadação tributária. 

A marca de R$ 1,7 trilhão equivale ao montante pago em impostos, taxas e contribuições no país desde o primeiro dia do ano. O dinheiro é destinado à União, aos estados e aos municípios.

Magistrados dizem que reforma trabalhista não pode ser aplicada como foi aprovada

Fonte: Conjur
Aprovada no Congresso Nacional e sancionada pela Presidência da República, a reforma trabalhista ainda não foi discutida pelos tribunais, mas juízes, desembargadores e ministros da Justiça do Trabalho já dizem que as novas normas não poderão ser aplicadas integralmente.

Eles estiveram reunidos em Brasília dia 9/10 em evento da Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra). No encontro, ministros do Tribunal Superior do Trabalho, desembargadores, procuradores e auditores fiscais do Trabalho, entre outros, fizeram duras críticas às mudanças nas leis que regem as relações entre patrões e empregados e avisaram: diversos pontos da reforma não se tornarão realidade, pois desrespeitam a Constituição Federal e tratados internacionais dos quais o Brasil é signatário.

terça-feira, 17 de outubro de 2017

Farmacopeia Brasileira tem novas publicações

Fonte: Anvisa
O Formulário Homeopático da Farmacopeia Brasileira 1ª Edição, compêndio inédito da Comissão da Farmacopeia Brasileira, foi publicado na página da Anvisa no último dia 10 de outubro.

Resultado do trabalho do Comitê Técnico Temático de Homeopatia da Farmacopeia Brasileira e colaboradores, o Formulário Homeopático tem como propósito o apoio à melhoria do acesso à terapêutica Homeopática, sendo constituído por 84 monografias de medicamentos homeopáticos de uso interno que contêm fórmulas farmacopeias (oficinais).

É previsto que o Formulário Homeopático seja aplicado às farmácias de manipulação, aos laboratórios farmacêuticos industriais e aos profissionais prescritores.

Suplemento

Máquinas x humanos: quem vence a disputa pelo melhor atendimento?

Robôs que usam inteligência artificial para realizar atendimento ao cliente, conhecidos com chatbots, já fazem parte de nossa realidade. Diversas empresas já utilizam esses agentes virtuais para sanar dúvidas dos consumidores em seus sites e reduzir o número de atendimentos feitos por humanos. A mais conhecida é a Lu, da rede Magazine Luiza, que estrela as campanhas publicitárias da varejista na televisão e na internet. 

Ocorre que ainda persiste uma grande lacuna entre o que querem os consumidores e os atuais serviços  prestados por chatbots. É o que revela a pesquisa Humans vs. Machine (Humanos versus Máquina), conduzida pela Amdocs, empresa que fornece softwares e serviços para companhias de telecomunicação, em parceria com a consultoria Forrester Research.

Apesar da constatação de que os consumidores já aceitam interagir com esses agentes virtuais -21% dos entrevistados interagem com eles uma vez por semana e 35% uma vez por mês, -83% ainda preferem ser atendidos por humanos. Apenas considerando os brasileiros, o número é bem similar: 82%.
Eis as principais queixas em relação ao atendimento feito pelas máquinas: elas não entendem demandas complexas (49%) e não oferecem ofertas personalizadas (36%). Além disso, 40% se sentem forçados a conversar com os agentes virtuais, mesmo quando não querem.

“É uma mudança de paradigma que leva tempo” afirma Renato Osato, executivo da Amdocs no Brasil e América Latina. “Os consumidores já estão entendendo que a inteligência artificial é uma realidade e que as mudanças vieram para ficar”.

Entre os motivos apontados para a escolha dos agentes virtuais estão a maior conveniência em relação aos outros canais de comunicação com a empresa (44%) e as repostas e informações mais rápidas (41%) .

Osato afirma que o ideal é uma mescla entre as duas modalidades.
Os chatbots conseguem fazer atendimentos mais simples e repetitivos, enquanto humanos ficam responsáveis pelas demandas mais complexas e que necessitam de uma reposta personalizada. Com isso, as novas turmas de telemarketing, por exemplo, deverão ser cada vez mais especializadas em relações humanas.

Osato afirma também que os preços dessas tecnologias já estão mais acessíveis para pequenas empresas. A falta de conhecimento sobre sua aplicação e benefícios, porém, ainda é uma barreira na adoção das novas ferramentas.

Ameaça Gigante!

Fonte: Sincofarma c/info O Tempo Opinião
o mercado brasileiro aguarda um acirramento da concorrência após a chegada da Walgreens, dos EUA. O que não estaria longe. Segunda maior rede de farmácias do mundo, a gigante americana já ensaiou a sua vinda há alguns anos, quando cogitou a compra do grupo nacional BR Pharma. Mas o negócio não avançou. Agora, a Walgreens estaria novamente de olho no Brasil. E com novo alvo em mira: a Pacheco.

Alguns direitos assegurados em lei, a partir da luta sindical

Fonte: DIAP/Cartilha Para que serve e o que faz o movimento sindical
Os trabalhadores brasileiros, além dos direitos assegurados na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), ainda podem acrescentar outros pela via da negociação coletiva. Entre os principais direitos garantidos na CLT, podemos citar:

- Repouso semanal remunerado;

- 13º salário, com pagamento em duas parcelas,  sendo uma paga até 30 de novembro e a segunda, até 20 de dezembro;

- Férias de 30 dias com acréscimo de 1/3 do salário;

- Licença-maternidade de 120 dias, com garantia de emprego até o quinto mês depois do parto;

- FGTS: depósito de 8% do salário em conta bancária a favor do empregado;
- Horas-extras pagas com acréscimo de 50% do valor da hora normal;

- Garantia de emprego por 12 meses em casos de acidente;

- Aviso prévio proporcional ao tempo de serviço, sendo o mínimo de 30 e o máximo de 90 dias, em caso de demissão;

- Seguro-desemprego.

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Amazon pode entrar para o mercado farmacêutico

Fonte: Infomoney
A Amazon pode começar a atuar no mercado farmacêutico, de acordo com informações do site CNBC. A empresa estaria planejando a venda de medicamentos on-line com receita médica. Se optar por esse novo segmento, a Amazon começará a expandir sua equipe com especialistas da área de saúde.

A oportunidade de vender medicamentos é fascinante para a economia por causa do tamanho de mercado. Analistas estimam que o mercado de medicamentos prescritos nos Estados Unidos chegue a US$ 560 bilhões por ano. Segundo fontes anônimas, a Amazon está bem ciente das complexidades do negócio.

Em 2016, a empresa aumentou suas contratações e consultou especialistas sobre um eventual movimento no segmento farmacêutico, segundo o site. A investigação de um possível novo segmento para empresa teve início com o vice-presidente da divisão de consumo da empresa, Eric French, assumindo a liderança.

Segundo o site, analistas do mercado esperam que a Amazon entrará para o mercado de farmácia dentro de um ou dois anos. A empresa já vende suprimentos médicos online, como gaze e termômetros.

Sabia?

No Japão quem se emprega automaticamente se associa ao sindicato. No Brasil, onde a rotatividade da mão de obra bate na casa dos 60%, a associação é espontânea.

Experimente!

Conselho Nacional de Justiça - CNJ

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Reciclando

Entre Nós
Jaime Porto
Presidente Sinprafarmas

A quantidade de lixo produzida diariamente por um ser humano é de aproximadamente 5 Kg. Se somarmos toda a produção mundial, os números são assustadores. Só o Brasil produz 250 mil toneladas de lixo por dia. O aumento diário da quantidade de lixo se deve ao aumento do poder aquisitivo e pelo perfil de consumo de uma população. Além disso, quanto mais produtos industrializados, mais lixo é produzido, como embalagens, garrafas etc.

Uma garrafa plástica ou de vidro pode levar 1 milhão de anos para decompor-se. Uma lata de alumínio, de 80 a 100 anos. Porém todo esse material pode ser reaproveitado, transformando-se em novos produtos ou matéria prima, sem perder as propriedades. Separando todo o lixo produzido em residências, estaremos evitando a poluição e impedindo que a sucata se misture aos restos de alimentos, facilitando assim seu reaproveitamento pelas indústrias. Além disso, estaremos poupando a meio ambiente e contribuindo para o nosso bem estar no futuro ou poderemos ter nossa água racionada, nossos filhos com sede e problemas respiratórios.

A atividade da reciclagem é sempre saudável e proporciona economia de recursos sendo cada vez mais difundida em todos os âmbitos. Todos devem participar e podemos começar, educando nossas crianças a respeitar e ter consciência pela vida que nos cerca e da qual fazemos parte, incentivando-as a preservar nosso meio ambiente, através de atitudes simples como separar o lixo. Você está fazendo a sua parte?

Trabalhadores com sequelas de acidente são indenizados

O benefício é pago ao trabalhador que sofre um acidente e fica com sequelas permanentes que reduzem sua capacidade de trabalho.

Este auxílio tem caráter indenizatório e é concedido aos segurados acidentados que recebiam auxílio-doença e recuperaram a capacidade laborativa, apesar das sequelas.

Segundo informações do INSS, como se trata de uma forma de indenização por causa do acidente, o recebimento desse benefício não impede o cidadão de continuar trabalhando.

Como requisitar o auxílio acidente
Para pedir auxílio-acidente não é necessário apresentar documento, porque eles já tinham sido exigidos na concessão do auxílio-doença. Se confirmada a existência de sequela, por meio de exame da perícia médica da Previdência Social, o auxílio-doença será automaticamente transformado em auxílio-acidente.

O auxílio-acidente, por ter caráter de indenização, pode ser acumulado com outros benefícios pagos pela Previdência Social, exceto auxílio-doença decorrente da mesma lesão e aposentadorias.

E atenção! O auxílio-acidente não gera pensão e seu valor pode ser, eventualmente, menor que o do salário mínimo, pois ele corresponde a 50% do salário de benefício que deu origem ao auxílio-doença.


Não tem direito

Quantas são e o que representam gerações de direitos?

Fonte: DIAP/Cartilha Para que serve e o que faz o movimento sindical
O processo civilizatório encontra-se em sua quinta geração de direitos.

Na primeira geração, situada no século XVIII, estão os direitos civis (como direito à vida, à propriedade, à segurança, à integridade física, de acesso à Justiça e da ampla defesa) e as liberdades (de ir e vir, de pensamento, de opinião e expressão, entre outros).

Na segunda geração, que surgiu no século XIX, estão os direitos políticos, como o de associação e reunião, de organização política, partidária e sindical, de participação político-eleitoral (votar e ser votado), de sufrágio universal, de liberdade de imprensa, e de alternância no poder, entre outros.

Na terceira geração, a partir do século XX, já com a participação dos sindicatos e dos partidos políticos, estão os direitos sociais, econômicos e culturais.

Cabe notar que dessas três gerações de direitos, a terceira foi a única que implicou custos para governos e empresas com as conquistas de direitos ao trabalho decente, ao salário justo, à jornada de oito horas, ao descanso semanal remunerado, à aposentadoria digna, ao seguro-desemprego, à saúde, à educação, ao lazer, entre muitos outros.

Na quarta geração, conquistada a partir da segunda metade do século XX, estão os direitos difusos (com titular indeterminado) e coletivos (válidos para grupos, categorias e classes de pessoas por relação jurídica).

terça-feira, 10 de outubro de 2017

Recesso


Centrais sindicais assinam acordo para receber recursos da contribuição sindical que o governo deixou de repassar às entidades

Fonte: MPT
Com a mediação do Ministério Público do Trabalho (MPT), foi fechado nesta quinta-feira (5) acordo para devolução de recursos do imposto sindical que deixaram de ser repassados pelo governo federal a centrais sindicais, federações e até alguns sindicatos. O termo de mediação foi assinado por sete centrais sindicais, o Ministério do Trabalho, a Caixa Econômica Federal (CEF), a Advocacia-Geral da União (AGU) e o MPT. O montante da dívida ainda será apurado pelo Ministério, mas, pelo acordo, as centrais concordaram em destinar 15% do total para ações de combate ao trabalho escravo e ao trabalho infantil.

As centrais sindicais identificaram que, entre 2008 e 2015, houve retenção, por parte do governo federal, de parte da contribuição sindical devida. As centrais procuraram o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, para cobrar a dívida e também o procurador-geral do Trabalho, Ronaldo Fleury, para mediar a negociação entre os sindicalistas e o governo. Fleury conversou com Nogueira e marcou a primeira audiência de negociação na última semana de setembro. Em nova audiência, realizada nesta quinta-feira, chegou-se ao acordo com a assinatura do termo de mediação. A previsão é de que os primeiros valores sejam identificados nos próximos 30 dias.

Gravidez durante aviso prévio

Conselho Nacional de Justiça - CNJ

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Seminário Nacional CNTC reúne mais de 700 pessoas para discutir os impactos da Reforma Trabalhista

Fonte: CNTC
A Confederação Nacional dos Trabalhadores no Comércio encerrou na quinta, 5 de outubro, em Brasília, o Seminário Nacional CNTC - Reforma Trabalhista: impactos da lei e ações para o seu enfrentamento. O último dia reuniu advogados trabalhistas, representantes do Ministério Público e magistrados do Trabalho, que debateram temas específicos, em seis grupos de trabalho.

O seminário foi aberto quarta, dia 4, pelo presidente Levi Fernandes Pinto, que destacou: “Este é um momento histórico para se discutir novos rumos do Direito do Trabalho. Estamos prontos pra lutar, nos manteremos unidos e fortes na busca e garantia dos direitos trabalhistas”.

Para Luiz Carlos Motta, presidente da Federação dos Comerciários do Estado de São Paulo e 2º vice-presidente da CNTC, eventos como esse orientam o sindicalismo ante a reforma. “Estamos nos preparando pra quando ela entrar em vigor, dia 11 de novembro. Os palestrantes foram unânimes em apontar que a nova lei retira direitos. Os dirigentes, com suporte dos nossos departamentos jurídicos, não deixarão que ela contamine as convenções coletivas", observa.
Segundo Motta, é salutar o avanço do debate em torno da edição da - ainda incerta - medida provisória, que poderá corrigir pontos mais drásticos da Lei 13.467/17. “Não estamos pensando em medida provisória. Porém, se ela vier, nos adaptaremos, mas já temos um caminho a seguir", diz o presidente, que liderou vários dirigentes comerciários paulistas no seminário.

Os sindicatos foram importantes ou tiveram alguma influência na conquista de direitos sociais?

Fonte: DIAP/Cartilha Para que serve e o que faz o movimento sindical
Mais que importantes, foram fundamentais para a criação e institucionalização
dos direitos sociais, econômicos e culturais dos trabalhadores. Os sindicatos, como dito na introdução, surgiram no século XIX, na segunda geração de direitos, a dos direitos políticos, e foram determinantes para a conquista dos direitos sociais, que representam a terceira geração de direitos. A primeira, do século XVIII, foi a geração dos direitos civis.

Direitos como a jornada de oito horas diárias, o descanso semanal remunerado, as férias, a segurança e higiene no trabalho, a aposentadoria, a assistência à saúde, o salário digno e o seguro-desemprego são algumas das conquistas resultantes da luta e pressão sindical.

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Como os sindicatos divulgam suas atividades?

Fonte: DIAP/Cartilha Para que serve e o que faz o movimento sindical
Principalmente pela imprensa sindical. Ela informa, forma e mobiliza os trabalhadores. É o principal instrumento de contato entre o sindicato e sua base.
Os sindicatos dispõem de vários veículos de divulgação de suas atividades, que vão desde jornais, revistas e boletins impressos, passam pela utilização da internet, das redes sociais e dos programas de rádio, até o uso de megafone e de carro de som em manifestações sindicais e sociais.

A imprensa sindical representa em torno de 10% da tiragem da grande imprensa. Ou seja, o número de jornais, boletins e panfletos divulgados diariamente é muito significativo. Além disto, o índice de leitura é elevado porque circula de mão em mão nas empresas, fábricas e estabelecimentos comerciais.

Os fatos sindicais mais marcantes algumas vezes são divulgados pela grande imprensa. Essa relação é marcada por altos e baixos. A grande imprensa não é isenta ou neutra. Tem escolhas políticas específicas em sua atuação, com influência sobre a divulgação feita, ora a favor, ora contrariamente, conforme uma lógica política própria. O acompanhamento da grande mídia requer sempre uma visão crítica e independente.

O movimento sindical deve pressionar pela democratização dos meios de comunicação, de tal modo que as entidades tenham canais de rádios e TV ou direito de antena nos canais públicos para fazer chegar sua mensagem à sociedade e às autoridades.

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Prescrição de genéricos tem alta de 116%

Fonte: O Globo
Os medicamentos genéricos foram o segmento com maior crescimento de prescrições médicos nos últimos cinco anos, segundo uma pesquisa inédita da Associação Brasileira das Indústrias de Medicamentos Genéricos (ProGenéricos).
A entidade analisou 439 milhões de receitas de medicamentos apresentados nas farmácias de todo o País. O avanço foi de 116% desde 2013.

No último ano, os genéricos responderam por 33,3% dos receituários médicos. A prescrição de similares e a de medicamentos de referência cresceu, respectivamente, 84% e 48%.

Câmara aprova fundo público eleitoral para financiar campanhas

Fonte: Diap 
O PL 8.703/17, que cria o Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC) será composto por 30% das emendas impositivas apresentadas pelas bancadas de deputados e senadores e pela compensação fiscal paga às emissoras de rádio e de TV por propaganda partidária, que será extinta. E, ainda, o PL 8.612/17, que regulamenta como será feita a distribuição desses recursos, entre outros aspectos relativos às campanhas.

Recursos 
Pelo texto aprovado, estão previstos no orçamento de 2018 R$ 4,5 bilhões para emendas de bancada, dos quais R$ 1,35 bilhão (30%) serão destinados às campanhas eleitorais. Caso existirem economias feitas no orçamento do Poder Legislativo, elas poderão ser usadas para reduzir esse percentual.

Além desse valor, para as eleições de 2018 deverão ser usados recursos equivalentes à renúncia fiscal com a propaganda partidária de 2017 e de 2016. Como esse tipo de propaganda ocorre somente no primeiro semestre de ano eleitoral, caso de 2016, seria o gasto com três semestres de propaganda.

Campanha outubro rosa divulga informações sobre a doença e mostra os avanços no tratamento

Os avanços na luta contra o câncer de mama e o empoderamento das mulheres são o principal foco da campanha Outubro Rosa em 2017, cujas ações começam nesta terça-feira, 3. O movimento popular representado pelo laço rosa, que simboliza a luta contra a doença, tem o objetivo de estimular a participação da população, de empresas e entidades e alertar as mulheres sobre a prevenção do câncer de mama.

De acordo com o Ministério da Saúde, esse é o câncer que mais afeta as mulheres no Brasil e no mundo, respondendo por cerca de 25% dos casos novos a cada ano. É a segunda causa de morte por câncer nos países desenvolvidos, atrás somente do de pulmão.

Para ressaltar a importância da campanha no Brasil, o Instituto Nacional do Câncer (Inca) revelou que surgem cerca de 60 mil novos casos de câncer de mama por ano, e que 15 mil dessas pacientes não resistem à doença. O Inca estima que, entre 2016 e 2017, sejam diagnosticados 57.960 novos casos no país, com um risco estimado de 56,20 a cada 100 mil mulheres.

Sem considerar os tumores de pele não melanoma, o câncer de mama é o tipo mais frequente nas mulheres das regiões Sudeste, com 68,08 a cada 100 mil mulheres, Sul (74,30/100 mil), Centro-Oeste (55,87/100 mil) e Nordeste (38,74/100 mil). Na região Norte, é o segundo tumor mais incidente, com 22,26 casos a cada 100 mil mulheres. Para a Sociedade Brasileira de Mastologia, essas diferenças provavelmente têm origem no fato de que, quanto maior o desenvolvimento da região, maior a incidência de câncer de mama, devido à maior exposição das mulheres a fatores como poluição e estresse.

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Saúde da Mulher: um simples direito!

Entre Nós
Jaime Porto
Presidente Sinprafarmas

Entramos no mês de outubro e a campanha Outubro Rosa pipoca pelo país. Mas não basta pensar apenas no câncer de mama. A saúde da mulher deve ser tratada pelo poder público incorporando a concepção de direitos sexuais e direitos reprodutivos, abrangendo a visão de cuidado à mulher em todas as suas fases de vida, da infância ao envelhecimento saudável.

Por isso, é cada vez mais necessário que o Estado brasileiro adote políticas acessíveis às necessidade das mulheres, que devem ser vistas como cidadãs, com direitos iguais e, ainda mais, como pessoas com capacidade de decisão, que possuem especificidades no processo de saúde e doença em função da condição feminina. E, isto tanto no que se refere à saúde, como também sobre as condições gerais de vida e trabalho.

No Brasil uma questão inaceitável é o número de mortes de mulheres que poderiam ser facilmente evitáveis, principalmente as chamadas mortes maternas, aquelas por câncer do colo de útero, por Aids e aborto. A maioria desses óbitos poderiam ser evitados pela aplicação de políticas públicas de prevenção, acessíveis às camadas mais necessitadas da população. Também é inaceitável o número de mortes e sequelas provocadas pela violência (doméstica, psicológica, física, moral, patrimonial, sexual e até mesmo o tráfico de mulheres) um mal que atinge mulheres de diferentes classes sociais, origens, regiões, estados civis, escolaridade ou raças.

Portanto, nada mais natural que o movimento organizado de mulheres intervenha na política nacional de saúde exigindo direitos que deveriam ser respeitados e cumpridos pelo poder público sem tanta luta e discussão!
Nós abraçamos esta causa... e você?

Comércio nacional deve abrir 73 mil vagas temporárias para o final de ano

Fonte/Foto: Ag. Brasil
Mais de 73 mil pessoas serão contratadas pelo comércio brasileiro para as festas de fim de ano, com alta de 10% em comparação com o mesmo período do ano passado, quando foram geradas 66,7 mil vagas temporárias de emprego. 

A estimativa foi divulgada nesta quarta-feira (27), no Rio de Janeiro, pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) . 

O vestuário é um dos setores que mais crescem com o Natal. As vendas aumentam mais de 80% em dezembro em comparação com o mês anterior. Segundo Bentes, vestuário é o mais democrático dos segmentos, porque engloba desde a lembrancinha adquirida no comércio popular até produtos de marca, mais caros. Se isso ocorre nas vendas, acaba replicando também no emprego, demandando mão de obra em dezembro. 

Outro segmento que deve concentrar os maiores volumes de contratação é o de hiper e supermercados, que responde por 30% do varejo e foi afetado positivamente este ano pelo dólar baixo e pelos preços em queda dos alimentos. Espera-se efetivação de uma parcela significativa, pelo menos 27% dos contratados temporários. 

Que relação existe entre sindicato e democracia?

Fonte: DIAP/Cartilha Para que serve e o que faz o Movimento Sindical
A relação é intrínseca. A organização sindical, instituição indispensável ao diálogo social, é um dos elementos garantidores da democracia. Ela faz parte do tripé da democracia, que é constituído por: partidos, imprensa e sindicatos.

Um país que não possui sindicatos organizados, imprensa livre e partidos fortes
não pode ser considerado democrático.

Os partidos, no caso brasileiro, possuem três atributos exclusivos: i) o de canal das disputas eleitorais (ninguém concorre sem estar filiado a um partido político; ii) o da gestão direta do poder (ninguém é eleito ou se reelege para os cargos de presidente da República, governador, prefeito, senador, deputado ou vereador sem estar filiado a um partido) e iii) o de expressão da democracia.

terça-feira, 3 de outubro de 2017

Sauna reduz pressão arterial em 50 por cento, diz estudo

Fonte: SóNotíciaBoa
Fazer sessões de sauna pode reduzir pela metade a pressão arterial.
Um novo estudo publicado no periódico científico American Journal of Hypertension revela que o banho de vapor ajuda a reduzir em até 46% a probabilidade de hipertensão.

De acordo com os pesquisadores da Universidade da Finlândia Oriental, homens que mantém o hábito semanalmente têm uma pressão arterial mais baixa, o que previne doenças associadas à pressão alta.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...