sexta-feira, 29 de setembro de 2017

Adote medidas preventivas para cuidar de seu coração!

Em todo o mundo, cerca de 17,5 milhões de pessoas morrem vítimas de doenças cardiovasculares, a cada ano, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). No Brasil, a situação não é diferente. A média anual chega a 350 mil, o que corresponde a uma vida perdida a cada 40 segundos; a duas vezes mais que todas as mortes decorrentes de câncer e seis vezes mais que as provocadas por todas as infecções no país.

Estado de gravidez


quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Farma Conde B é a Campeã da Copa Perna de Pau 2017


PARABÉNS A TODOS QUE PARTICIPARAM!

26º Congresso Sindical Comerciário

Acontece dias 28 e 29 de setembro, o 26º Congresso Sindical Comerciário, realizado pela Fecomerciários no Centro de Lazer em Praia Grande. O tema do evento é “Sindicalismo pós-reforma trabalhista - reagir, resistir, reorganizar”.

Mais de 500 congressistas lotam o auditório para ouvir palestrantes especialistas no tema: o economista Antonio Corrêa de Lacerda, a consultora sindical Zilmara David Alencar, o líder sindical Lourival Figueiredo Mello, os jornalistas Audálio Dantas e Irineu Toledo, o advogado trabalhista Hermano Moura e o deputado federal Arnaldo Faria de Sá.

O congresso foi aberto oficialmente pelo coordenador executivo Walter dos Santos, presidente do Sincomerciários de Guarulhos, e o presidente Motta encerrou a fase de discursos. 

Qualquer trabalhador pode participar do sindicato e como surgem e se inserem as lideranças no sindicalismo?

Fonte: DIAP/Cartilha Para que serve e o que faz o movimento sindical
Sim, qualquer trabalhador, filiado ou não, pode acompanhar as ações do sindicato representativo de sua categoria profissional. Entretanto, para ser dirigente é preciso estar filiado à entidade. A luta sindical requer consciência e disposição para o trabalho coletivo, em defesa de uma classe.

Para se tornar uma liderança sindical, o trabalhador deve se filiar, participar ativamente do sindicato e desenvolver o senso crítico, além Para que serve e o que faz o movimento sindical de se informar sobre os temas de interesses da classe trabalhadora e de sua categoria profissional.

A maioria dos sindicalistas ou líderes sindicais foi forjada na luta, portanto, no contato direto com os trabalhadores, seja em assembleia, greve ou nas mobilizações, seja nas disputas em eleições sindicais, na situação ou oposição.
Para alguém despontar como liderança, além de capacidade de argumentação e de mobilização, é preciso ter disposição para o trabalho sindical, que é ao mesmo tempo exaustivo e gratificante, pelos resultados que pode trazer em benefício das classes trabalhadoras.

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Em momento recessivo Práticos conquistam aumento real

Entre Nós
Jaime Porto
Presidente Sinprafarmas

Negociar pode parecer fácil, mas não é. Negociar é dividir vantagens, respeitando a inteligência e limitação dos outros, sendo honesto e aberto ao diálogo, sem ser ingênuo e trabalhando com técnica. Negociar é uma atitude diante da vida e dos problemas que demonstra que nosso objetivo é alcançar soluções mutuamente satisfatórias.

O momento econômico brasileiro, somado às mudanças na CLT, exige negociação e persistência. Estes dois fatores nos levaram, depois de muitas rodadas de conversação, a um desfecho positivo para os práticos de farmácia, no fechamento do acordo coletivo de trabalho 2017.

O trabalho afinado e permanente da comissão de negociação garantiu aumento real de 0,44% acima da inflação. Além disso, foram mantidas as cláusulas sociais, com destaque para a continuidade das homologações realizadas nas sedes e subsedes dos sindicatos, beneficiando o trabalhador que continuará a ter a assistência gratuita do seu sindicato.

A negociação deste ano foi positiva, considerando a situação recessiva que atravessamos. Negociamos como parceiros conscientes, afinal sem a outra parte nenhum acordo é fechado, cada um depende do outro e firmamos relações estáveis, que sempre resultam num ganha-ganha saudável.

Se você tiver qualquer dúvida sobre trabalho entre em contato conosco para que possamos esclarecer. Estamos à sua disposição!

Canal farma movimentou R$ 99 bilhões no último ano

Fonte: Guia da Farmácia
O Encontro de Associados Farmarcas, realizado nos dias 10 e 11 de agosto último, em São Paulo, contou com a presença de diferentes empresas e executivos do segmento farmacêutico.

No segundo dia, o diretor de relacionamento com parceiros estratégicos da QuintilesIMS, Eduardo Rocha, falou sobre os resultados do canal farma no último ano.

De acordo com ele, entre os 30 produtos que mais obtiveram crescimento, somente cinco não são medicamentos e nenhum Medicamento Isento de Prescrição (MIP) aparece na lista. O setor como um todo movimentou R$ 99 bilhões, se considerado o preço ao consumidor, com aproximadamente 5,1 bilhões de unidades vendidas.

O que faz um dirigente sindical ou representante sindical?

Fonte: DIAP/Cartilha para que serve e o que faz o movimento sindical
Além de representar e defender os interesses dos trabalhadores administrativa e politicamente, participando de negociações e eventos em defesa da categoria e dos trabalhadores como classe, faz um trabalho de mobilização e conscientização, com esclarecimentos às dúvidas e questionamentos da base. Ou seja, organiza e lidera a luta específica e geral dos trabalhadores, fazendo a intermediação e mediação de pleitos, interesses e reivindicações da categoria com os patrões e o governo (Poder Executivo), o Poder Legislativo e o Poder Judiciário.

Sua principal missão, entretanto, é prover que a entidade oriente o trabalhador sobre seus direitos trabalhistas e previdenciários, tanto no exercício de sua atividade, quanto na hipótese de dispensa, no momento da homologação.

Não pode nem deve aceitar que a entidade sindical burocratize a organização, sob pena de se criar estruturas de poder voltadas para promover e reproduzir os interesses dos próprios dirigentes em detrimento das bases.

terça-feira, 26 de setembro de 2017

Reajuste salarial e PLR aos práticos de farmácia


A semana começou com grandes conquistas para os práticos de farmácia do Estado de São Paulo. O presidente Jaime Porto esteve na manhã desta segunda, 25 de setembro, em duas reuniões consecutivas realizadas na sede da Federação dos Comerciários do Estado de São Paulo, quando o presidente da entidade, Luiz Carlos Motta, comandou a assinatura da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) 2017/2018 da categoria, do setor varejista, e também o acordo de Participação nos Lucros ou Resultados (PLR) com a rede Raia Drogasil.

CCT
O trabalho em conjunto e permanente da comissão de negociação garantiu aumento real de 0,44% acima da inflação do período de 1º de julho de 2016 a 31 de junho de 2017. Além disso, foram mantidas as cláusulas sociais, com destaque para a continuidade das homologações realizadas nas sedes e subsedes dos sindicatos.

Motta e os dirigentes assinaram o documento ao lado do presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Produtos Farmacêuticos no Estado de São Paulo (Sincofarma/SP), Natanael Aguiar Costa.

PLR
Depois de garantir o reajuste para a categoria, Motta renovou o acordo de PLR com o gerente de Administração de Pessoal e Relações Trabalhistas da Raia Drogasil, Vanderlei de Moraes. O acordo, que vale por mais um ano, garante que o benefício seja pago aos cerca de 20 mil práticos de farmácia da rede, em todo o Estado de São Paulo.

Os membros da comissão têm entendimento unitário de que a assinatura foi positiva, considerando o quadro recessivo do País. Somam-se a este fator as mudanças na CLT e na política. O presidente Motta finaliza. “Persistimos na conquista do aumento real porque desde o início das rodadas de negociação estávamos bem preparados, inclusive com bons dados econômicos do setor”. 
Fonte: Fecomerciários

Principais cláusulas CCT 2017/2018


Assinada a CCT 2017, entre a Fecomerciários, Sinprafarmas filiados e Sincofarma, com vigência de 1º de julho de 2017 até  30 de junho de 2018, da qual destacamos as principais cláusulas:

Os salários de julho de 2016, assim considerados aqueles resultantes da aplicação integral das disposições constantes da cláusula nominada Atualização Salarial da norma coletiva imediatamente anterior, serão reajustados, na data-base, em 3,0% a título de atualização salarial.

PISOS SALARIAIS
Ficam estabelecidos como pisos salariais os valores mensais a seguir discriminados, aplicáveis a jornadas ordinárias de trabalho correspondentes a 44 (quarenta e quatro) horas semanais:

1. R$ 1.022,00 (um mil e vinte e dois reais) para os empregados exercentes das funções de “office-boy”, pacoteiro ou empacotador, auxiliar de reposição e faxineiro;

2. R$ 1.262,00 (um mil e duzentos e sessenta e dois reais) para os empregados em geral;

3. R$ 1.386,00 (um mil e trezentos e otenta e seis reais) para os entregadores motorizados;

4. R$ 1.413,00 (um mil e quatrocetos e treze reais) para os empregados exercentes da função de auxiliar de farmácia com manipulação;

5. R$ 1.452,00 (um mil e quatrocentos e cinquenta e dois reais) para os empregados exercentes da função de atendente de prescrição magistral em farmácia com manipulação;

6. R$ 1.771,00 (um mil e setecentos e setenta e um reais) para os empregados balconistas (vendedores), comissionistas ou não e técnicos de farmácia;

7. R$ 3.057,00 (três mil e cinquenta e sete reais) para os empregados no cargo de “gerente”.


Clique e veja a íntegra.

Receita alerta para golpe por via postal

Fonte: Agência Brasil
A Receita Federal alerta para golpe que está sendo realizado por via postal, e não por e-mail, como é comum. O contribuinte recebe, por correspondência, em sua casa, uma intimação para regularização de dados cadastrais. Nesta correspondência, há um endereço eletrônico para acesso e atualização de dados bancários. O endereço informado não tem nenhuma relação com o site da Receita, alertou o órgão.

Apesar de conter o logotipo e o nome da Receita Federal, a carta é uma tentativa de golpe e não é enviada pelo órgão nem tem sua aprovação. A orientação ao contribuinte é que, caso receba esse tipo de correspondência, destrua a carta e jamais acesse o endereço eletrônico indicado.

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Oferta de vagas para temporários de fim de ano volta a crescer

Fonte: Estadão
Após duas quedas seguidas, a contratação de trabalhadores temporários de fim de ano deve voltar a crescer em 2017, puxada pela melhora da economia e pela mudança na legislação dos temporários, em vigor desde março, que deu mais segurança jurídica para as empresas admitirem.

De setembro a dezembro, a perspectiva é que sejam contratados 374.800 temporários na indústria, comércio e serviços – um número 5,5% maior do que no mesmo período de 2016, aponta o estudo da Associação Brasileira do Trabalho Temporário (Asserttem), que reúne 200 agências de emprego.

Que garantias ou proteção possuem o dirigente ou representante sindical para exercício de seus mandatos com independência em relação aos patrões e ao governo?

Fonte: DIAP/Cartilha Para que serve e o que faz o movimento sindical 
A principal é a estabilidade no emprego ou a proteção contra a despedida motivada. O dirigente ou representante sindical, ainda que na condição de suplente, terá direito a proteção contra a despedida imotivada desde o registro da candidatura e, se eleito, até um ano após o final do mandato, conforme o inciso VIII da art. 8º da Constituição. Só poderá ser demitido se for comprovada a justa causa.
Geralmente, os dirigentes sindicais, em especial aqueles que integram a diretoria executiva, são liberados para ficarem à disposição do sindicato durante o exercício do mandato.
Além disso, é considerada prática antissindical a perseguição às lideranças sindicais, cuja missão é defender os direitos e interesses dos trabalhadores, em geral, e de sua categoria, em particular.
Nessa condição não poderão ser punidos por suas opiniões, palavras e votos, desde que não cometam crimes, nem por participação em mobilizações e manifestações, em greve ou atos de protestos, assim como em piquetes, assembleias ou outras formas de pressão sobre o governo e o patronato.

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Hoje é dia mundial sem carro. Topa o desafio?

22 de setembro. Hoje é o Dia Mundial Sem Carro, uma data criada para estimular a reflexão das pessoas sobre o uso excessivo de automóvel. É um convite em forma de desafio. 

A ideia é propor a quem dirige todos os dias que reveja essa dependência do carro, ou moto, durante 24 horas e vá para a escola/trabalho de bike, caminhando, de transporte público – que está longe de ser bom no Brasil – carona, ou outro meio criativo. A data foi criada para mostrar que há vida além do para-brisa.


O que eu posso fazer?
O dia 22 de setembro é uma oportunidade para que as pessoas experimentem vivenciar a cidade de outra forma.

Transporte público, bicicleta e mesmo a caminhada são alternativas saudáveis e cidadãs, que contribuem com o meio ambiente, com a sua saúde e até com a locomoção daqueles que realmente necessitam utilizar o carro, sobretudo em situações especiais de mobilidade como melhor idade, gestantes, transporte de crianças pequenas, pessoas com necessidades especiais, etc.

Até a carona solidária, combinada com um colega de escritório que more perto da sua casa, já ajuda bastante.

Se você usa o carro no dia a dia, faça um desafio a si mesmo e descubra se você é capaz de passar um único dia útil no ano longe do seu carro.

O sindicato e a associação profissional são a mesma coisa?

Fonte: DIAP/Cartilha Para que serve e o que faz o movimento sindical

Não. O sindicato representa toda a categoria profissional (conjunto de empregados de um mesmo segmento da atividade econômica), enquanto a associação representa apenas seus filiados. O sindicato é mais político, preocupa-se com a mobilização e a representatividade. As associações estão mais voltadas para a prestação de serviços, embora existam associações mais representativas do que determinados sindicatos, mas isso é exceção. A regra é o sindicato ser mais combativo e representativo, até porque tem a prerrogativa de negociar em nome da categoria, que pressupõe conflito de interesses.

Antes da Constituição de 1988, a fundação de um sindicato necessariamente seria antecedida da criação de uma associação profissional. A associação tem poderes restritos, pois não pode firmar normas coletivas em favor de seus representados. Outra distinção entre associação e sindicato é a prerrogativa deste na ação de dissídio coletivo (setor privado) e nas ações judiciais com substituição processual, nas quais o sindicato advoga pela categoria, mesmo sem procuração individual, bastando a aprovação em assembleia.

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Luta para inclusão!


Semi-final torneio Perna de Pau


26º Congresso Sindical Comerciário vai discutir sindicalismo pós-reforma trabalhista

Fonte: Fecomerciários
Nos dias 28 e 29 de setembro, comerciários de todo o Estado de São Paulo vão lotar o auditório do Centro de Lazer da Fecomerciários, em Praia Grande, para discutir o tema central do 26º Congresso Sindical Comerciário: “Sindicalismo pós-reforma trabalhista - reagir, resistir, reorganizar”.

O tradicional congresso vai reunir palestrantes especialistas no tema, como o economista Antonio Corrêa de Lacerda, a consultora sindical Zilmara David Alencar, o líder sindical Lourival Figueiredo Mello, os jornalistas Audálio Dantas e Irineu Toleto, o advogado trabalhista Hermano Moura e o deputado federal Arnaldo Faria de Sá.

No final do congresso comerciário 2017, como acontece em todas as edições, serão aprovadas importantes deliberações que nortearão as ações dos 71 sindicatos filiados à Federação junto à categoria em suas bases.

Escolha o vencimento das contas

Conselho Nacional de Justiça - CNJ

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Futsal Perna de Pau!

Entre Nós
Jaime Porto
Presidente Sinprafarmas

Está comprovado que o futebol é um meio eficaz para melhorar ou manter a saúde e sua prática desde a infância permite desenvolver não só qualidades físicas como também psíquicas e morais. Jogar futebol com profissionalismo ou por diversão é saudável, mantém a forma e protege contra doenças associadas ao estilo de vida. O futebol une as pessoas de idades, gêneros, origens sociais e culturais diferentes.

Além disso, temos no futebol, uma representação da nossa vida. Para jogar é necessário habilidade, disciplina e competência, requisitos também exigidos na luta diária, quando temos de correr atrás dos nossos objetivos e não nos deixarmos driblar. No futebol como na vida buscamos os troféus e as vitórias.       
Assim nosso sindicato tem realizado o Torneio Perna de Pau com o objetivo de promover a integração entre os trabalhadores e a união entre as categorias, incentivando o desporto amador, estimulando o trabalho em grupo, incentivando a atividade física que promove o bem estar do corpo e do indivíduo, lembrando que no futebol formamos um time coletivo, jogamos afinados com nossos companheiros para vencer, assim como devemos estar afinados com o trabalhador, identificando suas necessidades e lutando para conquistar benefícios e manter direitos.

Este ano, mais uma vez, o Futsal veio com tudo no Sinprafarmas, reunindo trabalhadores de diversas empresas, seus familiares, diretores e funcionários do sindicato, apreciadores do esporte. E você? Ficou de fora?

O sindicato possui alguma prerrogativa especial em relação a outras entidades associativas?

Fonte: DIAP/Cartilha Para que serve e o que faz o movimento sindical
Sim. O sindicato, entre as organizações tidas como não-governamentais, é o único ente que tem o poder ou a prerrogativa de estabelecer ação regulatória na medida em que os instrumentos normativos por ele assinados, que resultarem de negociação coletiva, têm a força de restringir ou condicionar a liberdade patronal na contratação e definição das condições de trabalho.

O sindicato, como principal representação do trabalhador, é um sujeito coletivo e, valendo-se de sua capacidade de mobilização (greves e conflitos), dispõe da prerrogativa de autotutela do próprio interesse, além de reconhecimento de certo poder social extralegislativo, tanto que os acordos, convenções ou contratos dos quais é signatário, no caso brasileiro, têm força de lei e beneficiam a todos os trabalhadores da categoria profissional representada, seja o trabalhador filiado ou não ao sindicato.

terça-feira, 19 de setembro de 2017

Reação de juízes contrários à reforma trabalhista gera incertezas

Fonte: Força Sindical
A reforma trabalhista corre o risco de perder força nos tribunais. A menos de dois meses de entrar em vigor, o texto divide opiniões de juízes, e parte dos magistrados já prevê a não aplicação de alguns trechos da legislação, por considerarem que os dispositivos são contra a Constituição Federal ou outras leis, como o Código Civil. Para advogados, que percebem um judiciário reativo, esse cenário causa um clima de insegurança jurídica, que pode só ser resolvido em uma eventual decisão do Supremo Tribunal Federal (STF).

As principais críticas vêm da Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra), que se posiciona de forma contrária à reforma desde o início das discussões sobre a matéria. Na avaliação da entidade, a reforma fere o artigo 7º da Constituição ao estabelecer que o trabalhador autônomo não se enquadra na definição de empregado descrita na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Assim, esse tipo de funcionário não teria as garantias da relação de emprego previstas na Constituição.

Consumidores trocam marcas consagradas por preços mais baratos

Fonte: Febrafar
Em 2017, os remédios ficaram, em média, 4,76% mais caros. Este aumento, aliado à atual crise econômica, faz com que os consumidores procurem mais alternativas para economizar. E na hora de comprar medicamentos, isso não é diferente, o que constata uma pesquisa recente divulgada pelo Instituto Febrafar de Pesquisa e Educação Continuada (IFEPEC).

Segundo a pesquisa Análise do perfil de compra dos consumidores de medicamentos, o aumento nos preços não levou à queda na venda de remédios, mas alterou o hábito de compra. Entre os entrevistados, 72% adquiriram os medicamentos nas farmácias e apenas 24% compraram exatamente o que tinham planejado. Do total, 31% modificaram parte da compra e 45% trocaram os medicamentos por vontade própria ou por indicação dos farmacêuticos.

A pesquisa também constatou que 97% dos entrevistados que trocaram de medicamentos na hora da compra buscavam economia, no geral optando por medicamento genérico. Segundo o estudo, o brasileiro ainda não tem o hábito de comparar preço entre diferentes estabelecimentos. Entretanto, o interesse em saber se a farmácia oferece uma alternativa mais em conta acontece na hora da compra.

O presidente da Febrafar (Federação Brasileira das Redes Associativistas e Independentes de Farmácias), Edison Tamascia, afirmou em nota que o brasileiro em busca de economia costuma deixar de ser fiel à marca que procura e ouve a indicação dos farmacêuticos para poupar ainda mais.

Panvel usa tecnologia para pagamentos

A Panvel acaba de implantar a tecnologia Contactless, que permite a realização de pagamentos com cartões de crédito e de débito ou dispositivos móveis apenas aproximando-os das maquininhas no caixa, sem necessidade de inseri-los.

“A funcionalidade deixa os pagamentos mais rápidos e práticos, além de reduzir o risco de erro de leitura do cartão, ou simplesmente usando seu smartphone ou dispositivos vestíveis, como braceletes e outros (devices wearables)”, afirma o gerente executivo de TI do Grupo Cimed, Alexandre Arnold.

A nova opção de pagamento permanecerá exigindo a digitação da senha pelo cliente no uso de cartão físico. No caso dos celulares, dependerá do aplicativo do banco que o consumidor usa. Com a iniciativa, a marca será a primeira rede de farmácias a implementar a tecnologia.

Além da defesa dos interesses e direitos dos integrantes da categoria junto ao governo, às empresas ou às entidades patronais, em quais outras dimensões atuam as organizações sindicais?

Fonte: DIAP/Cartilha Para que serve e o que faz o movimento sindical
Como fenômeno multifacetado, o sindicalismo, segundo Ney Prado, atua também nas dimensões: sociais, econômicas, políticas e jurídicas.

Sociais porque possui caráter associativo, que pressupõe sociabilidade, solidariedade e organização de uma classe.

Econômicas porque visa estabelecer relações estreitas, permanentes e dinâmicas com a economia, tanto na esfera macro (inflação, produtividade e outros), quanto no plano micro, dentro da empresa (salário, condições de trabalho, greve, acordos coletivos e outros).

Políticas porque inclui disputa, luta por poder, controle estatal e, sobretudo, pelo caráter coletivo, que dá legitimidade e possibilidade de influenciar o destino da história.

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Redes de farmácias registram lucro de R$ 1 bi em 2016 no Brasil

Fonte: Exame.com
As 26 maiores redes de farmácias e drogarias do País registraram em 2016 lucro líquido de R$ 1,08 bilhão, descontada a provisão do Imposto de Renda. Segundo dados divulgados nesta quarta-feira, 13, pela Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma), o valor corresponde a uma margem de 2,76% sobre as vendas brutas, contra 0,79% de 2015. O Ebitda ficou em 7,37%. Os índices são os maiores já registrados desde 2000.

O levantamento foi realizado em parceria com a Fundação Instituto de Administração (FIA-USP). “O reajuste de medicamentos acima da inflação, fixado em até 12,5% em 2016, ajudou nos resultados. As empresas conseguiram recuperar parte de sua margem de lucro perdida nos últimos anos”, disse o presidente executivo da Abrafarma, Sergio Mena Barreto.

No ano passado, as vendas brutas atingiram R$ 39,5 bilhões. O custo de mercadoria, que antes representava 69,28% deste valor, diminuiu para 65,8%, totalizando R$ 25,9 bilhões.

Já as despesas operacionais também foram menores e representaram 25,98% em 2016 contra os 26,14% do ano anterior, somando R$ 10,2 bilhões. “O menor gasto com reposição de produtos e despesas operacionais favoreceram o resultado da receita líquida”, ressalta o dirigente.

Ainda de acordo com o estudo, os impostos e contribuições incidentes atingiram a casa do R$ 1,3 bilhão e o resultado operacional foi de R$ 2,2 bilhões.

O que faz um Sindicato?

Fonte: DIAP/Cartilha Para que serve e o que faz o movimento sindical
As organizações sindicais de um modo geral, e os sindicatos, em particular, exercem quatro macrofunções, quais sejam:

a) organizar, representar e defender os direitos e interesses dos trabalhadores
da categoria profissional, inclusive como substituto processual;

b) negociar ou promover a contratação coletiva, podendo, para tanto, realizar movimentos paredistas (greve) na hipótese de recusa patronal;

c) formar para a cidadania, que consiste em promover cursos, seminários, simpósios, congressos e mobilizações para desenvolver o senso crítico dos trabalhadores;

d) lutar por justiça social, o que pressupõe participar e influenciar as decisões e processos políticos para que haja equidade na distribuição da riqueza, com garantia de dignidade ao trabalhador durante sua vida laboral e na aposentadoria.

Os sindicatos dos servidores públicos têm incluído em suas ações de campanha salarial ou mesmo de atuação no Congresso Nacional os temas institucionais aos quais as categorias representadas estão vinculadas, como estrutura, atribuições e funções.

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Audiência da CPI da Previdência em São Paulo

Nesta quinta, 14 de setembro, dirigentes de sindicatos comerciários filiados à Fecomerciários e de outras categorias de trabalhadores que compõem a UGT/SP atenderam à convocação do presidente das duas entidades, Luiz Carlos Motta, e lotaram o Auditório Paulo Kobayashi da Assembleia Legislativa de SP durante a Audiência Pública da Comissão Parlamentar de Inquérito da Previdência. O debate foi em torno do tema "Devedor Contumaz: o grande causador do déficit previdenciário".

A audiência em São Paulo foi uma iniciativa do presidente da CPI da Previdência, senador Paulo Paim (PT-RS). Segundo Paim, a intenção é mostrar para a sociedade os trabalhos desenvolvidos pela Comissão desde que foi instalada. O senador presidiu o evento, que teve participação do deputado federal Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP), da deputada estadual Lecy Brandão (PCdoB-SP), de magistrados da Justiça Federal e da Justiça do Trabalho, professores universitários e procuradores do Trabalho. O presidente da UGT Nacional, Ricardo Patah, também prestigiou o evento.  

O objetivo da audiência foi discutir os impactos causados pelos grandes devedores da Previdência. Foi apresentado um quadro geral do devedor contumaz, aquele que faz do não pagamento de dívidas e tributos uma fonte de renda. São isenções das contribuições e desvios via DRU. Segundo os membros da CPI, o montante desses desvios na Previdência em execução na Justiça Federal, que ultrapassa R$ 1 trilhão, e os dispositivos legais impedem a celeridade na execução desses débitos.

Também foram apresentados inúmeros dados da Receita Federal que demonstram um elevado montante que pode ultrapassar R$ 5 trilhões, entre desonerações, renúncias, Refis, dívidas não cobradas, desvios de verbas previdenciárias e outras rubricas que o governo federal não se empenha em receber, retirando este montante da Previdência.

Convenção garante aumento real aos práticos de farmácia do setor atacadista

Após várias rodadas de negociações, a Convenção Coletiva de Trabalho 2017/2018 dos práticos de farmácia do Estado de São Paulo, setor atacadista, foi assinada nesta quarta, 13 de setembro, e garantiu reajuste de 3,30% aos trabalhadores da categoria, o que significa 0,74% acima da inflação do período de 1º de julho de 2016 a 31 de agosto de 2017.

A reunião para fechar a convenção, cuja data-base é 1º de julho, ocorreu na sede da Federação dos Comerciários do Estado de São Paulo (Fecomerciários) e foi conduzida pelo presidente da Federação, Luiz Carlos Motta. Participaram representantes do Sindicato do Comércio Atacadista de Drogas, Medicamentos Correlatos, Perfumarias, Cosméticos e Artigos de Toucador no Estado de São Paulo (Sincamesp), dirigentes de sindicatos filiados à Federação e assessores das entidades envolvidas nas negociações.

A união dos trabalhadores em torno do sindicato é uma boa ideia?

Fonte: DIAP/Cartilha Para que serve e o que faz o movimento sindical
Sim, sem dúvida. O movimento sindical, como a instituição responsável pela defesa dos direitos e interesses individuais e coletivos da classe trabalhadora, foi uma das invenções mais criativas da humanidade.

Ele organiza, forma, mobiliza e traz poderes e equilíbrio aos trabalhadores nos embates com o empregador, o governo e certas mentalidades conservadoras na sociedade. Seu principal valor está em reconhecer a existência do conflito e permitir a sua solução de forma negociada, com regras que asseguram igualdade de condições entre empregadores e trabalhadores.

Organizado em sindicato, o trabalhador será representado por uma entidade e não terá que se expor isolada ou individualmente no enfrentamento ao patrão. A luta passa a ser coletiva, protegendo o trabalhador de eventual perseguição, garantindo força para a conquista, vocalizando desejos, ampliando a voz de cada um, criando respeito, valores e direitos.

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

A arapuca dos juros altos

Entre Nós
Jaime Porto
Presidente Sinprafarmas

Estamos há anos metidos em uma arapuca, no que se refere à política econômica, que transferiu ao exterior o comando sobre o nosso destino como economia e como nação. Alegando que o Estado estava quebrado e que o capital privado brasileiro era fraco, nossos políticos atribuíram ao capital estrangeiro a tarefa de nos resgatar e promover o nosso desenvolvimento. O Brasil vem sendo depauperado pela alta taxa de juros, que gera custos sociais incompatíveis com as funções de um Estado democrático.

Entra governo, sai governo, as taxas de juros continuam altas, para atrair o capital financeiro especulativo, convivendo com uma política fiscal intolerável, na medida em que o custo da dívida pública extrapola muito o superávit, travando o crescimento econômico e impedindo geração de novos empregos e a recuperação da renda do trabalhador.

Vivemos uma crise social profunda que só a reestruturação do Estado por meio da retomada de investimentos em infra-estrutura, além da restauração e ampliação de serviços públicos básicos, poderiam conter. Os recursos para esses investimentos seriam gerados pela queda nos juros, o que nos proporcionaria uma folga fiscal considerável.

Alternativas de ações que possam retomar o crescimento econômico com pleno emprego devem ser propostas, analisadas e implementadas, sem prejudicar o trabalhador, o mais rápido possível, pois, a crise social, política e moral ameaça o estado democrático tão duramente conquistado pelos brasileiros.

CPI da Previdência realiza audiência pública em São Paulo

Fonte: Ag. Senado
A Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo tem hoje audiência pública da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Previdência. O evento, aberto ao público, ocorrerá às 9h no auditório Paulo Kobayashi. O tema do debate será "Devedor Contumaz: o grande causador do deficit previdenciário".

O objetivo da audiência é discutir os impactos causados pelos grandes devedores da Previdência e a concorrência desleal. O devedor contumaz é aquele que faz do não pagamento de dívidas e tributos uma fonte de renda. Quando, por exemplo, uma empresa deixa de recolher tributos, é possível reduzir o custo de seus produtos. Assim, além do prejuízo aos cofres públicos, promove a concorrência desleal.

Soluções e alternativas para a melhoria do quadro da dívida ativa da União, em relação aos débitos da Previdência Social, também deverão ser debatidos no encontro. O evento contará com apoio da Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe) e da Associação Paulista do Ministério Público.

A audiência pública em São Paulo é uma iniciativa do presidente da comissão, senador Paulo Paim (PT–RS). Segundo Paim, a intenção é mostrar para a sociedade os trabalhos desenvolvidos pela CPI desde que foi instalada.

O que é o Sindicato?

Fonte: DIAP/Cartilha para que serve e o que faz o Movimento Sindical

O que é o Sindicato?
A palavra sindicato tem origem na expressão francesa syndic e significa "representante de uma determinada comunidade". A melhor definição de sindicato, entretanto, é de autoria dos  sociólogos e ativistas sociais ingleses Beatrice e Sidney Webb: "união estável de trabalhadores e trabalhadoras para a defesa de seus interesses e implentação da melhoria de condições de vida".

Trata-se de um conceito preciso, que expressa as principais dimensões do sindicato, porque:
- põe em relevo o caráter de permanência, ao mencionar a “união estável”;
- destaca o sentido de classe quando se refere a “trabalhadores e trabalhadoras”;
- enfatiza a ideia de resistência, ao falar da “defesa de seus interesses”;
- expressa ação, traduzida pela palavra “implementação” ;
- aborda o aspecto social, ao tratar da “melhoria das condições de vida”.

Essa forma de organização dos trabalhadores, que pressupõe união, solidariedade e consciência de classe, faz parte das conquistas do processo civilizatório. O trabalhador ade3re ou se filia a ela de modo individual e voluntário, portanto, consciente, com objetivo de somar esforços na defesa e promoção de seus interesses sociais, econômicos, políticos, culturais e profissionais. É relevante pensar nesta pauta ampla, de caráter de classe, associada aos sindicatos, superando em muito a visão restrita à categoria profissional e à pauta econômica.


É a instituição que, legal e legitimamente, faz a articulação e os enfrentamento na defesa e proteção dos direitos e interesse da classe trabalhadora.

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Dorflex em nova embalagem

A indicação do número de compridos por embalagem ficou mais evidente, já que o pack vem com três blisters de 12 comprimidos cada, totalizando 36 unidades. A caixa foi posicionada na horizontal e seu layout é azul, dando destaque à logomarca de Dorflex® em vermelho

Trabalho infantil atinge 2,7 milhões de crianças e adolescentes no Brasil

Se todas as crianças que trabalham no Brasil fossem colocadas em uma mesma cidade, seria possível ocupar uma metrópole como Brasília apenas com mão de obra infantil. A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad), levantamento mais recente do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) que trata do assunto, mostra que há 2,7 milhões de crianças e adolescentes entre 5 e 17 anos nessa situação. Em geral, o número tem tendência de queda, mas continua preocupante, principalmente quanto à faixa etária de 5 a 9 anos. Antes de completar 10 anos de idade, 79 mil brasileiros já estão trabalhando — aumento de 13% entre 2014 e 2015, na comparação mais recente do IBGE.

A cada quatro crianças que trabalham na América Latina, uma é brasileira. “Hoje, as Américas têm o menor número de crianças em situação de trabalho infantil, mas o peso do Brasil nesse quadro é ainda muito grande”, lamenta a coordenadora do Programa de Combate ao Trabalho Infantil da Organização Internacional do Trabalho (OIT), Maria Cláudia Falcão. A situação desanima ainda mais porque, além de ser o país latino-americano que mais sofre com casos assim, o Brasil está longe de atingir a meta de erradicá-los, estabelecida pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 2006.

terça-feira, 12 de setembro de 2017

Sindicatos tentam evitar que reforma tire benefícios negociados em acordo

Sindicatos de trabalhadores tentam, em negociações recentes, evitar que benefícios estipulados em acordos sejam eliminados com a implementação da reforma trabalhista e da lei de terceirização, aprovadas neste ano.

A reforma prevê, por exemplo, a prevalência do negociado sobre o legislado na jornada de trabalho, que pode ser estendidas para 12 horas diárias, horário de almoço menor e negociação individual do banco de horas sem mediação pelo sindicato.

Para se beneficiar desses pontos, as empresas precisam alterar as convenções e acordos coletivos com os sindicatos. Nessas negociações, as centrais tentam se preservar também da terceirização e do trabalho autônomo.

O Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo, Osasco e Região, ligado à Força Sindical, quer uma convenção que preveja que o legislado prevaleça, mantendo a homologação de rescisões nos sindicatos, uma hora de almoço e a negociação coletiva, e não individual, do banco de horas.

"O empresariado defendeu a negociação, certo? Então estamos propondo manter esses pontos", diz Miguel Torres, presidente do sindicato. "Os metalúrgicos, nós e os da CUT, estão juntos contra a reforma trabalhista."

Copa Perna de Pau 2017

Começa dia 12 de setembro a Copa Perna de Pau Sinprafarmas 2017, às 20h no Sesc Santos.

Você é nosso convidado!


1º Jogo: 20h Drogasil x Farma Conde A

2º Jogo: 20h Drogaria São Paulo e Farma Conde B

3º jogo: 20h50 Poupa Farma B x Homeofórmula

4º Jogo: 20h50 Poupa Farma A X Flora Medicinal

Drogarias Pacheco e Drogaria São Paulo lançam Festival do Bebê

Fonte: Assessoria de Imprensa Grupo DPSP
As redes Drogarias Pacheco e Drogaria São Paulo realizam em setembro o “Festival do Bebê”. A ação traz mix de produtos para banho, pós-banho, nutrição, proteção e cuidados, com preços promocionais disponíveis em todas as lojas e on-line.

“Investimos em um trabalho que envolve ofertas exclusivas para o bem-estar da mamãe e também, em opções de produtos que auxiliam no cuidado com os bebês. Para as famílias que estão se preparando para a chegada de uma criança, essa também é uma ótima oportunidade de presentear. Em nossos canais online disponibilizamos uma área permanente para organizar o Chá de Bebê, onde os produtos podem ser adquiridos e enviados diretamente para o destinatário”, explica a gerente executiva de marketing do Grupo DPSP, Thaís Lima.

As drogarias lançaram, também, um espaço virtual dedicado à organização do Chá de Bebê. Além de ser um canal para produzir um diário personalizado da gestação, os pais criam sua lista de presentes e disponibilizam para os seus convidados.

Luta por Medicamento é relembrada dia 8 de setembro

No dia 08 de setembro é marcado pelo Dia Nacional de Luta por Medicamento. A data marca as dificuldades de acesso a tratamentos e medicamentos para doenças no País. Não éincomum ver que fármacos, já aprovados por agências reguladoras americana e europeia,tenham problemas em sua fase de aprovação ou tenham registro negado devido a entravesburocráticos da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Mesmo aprovados, alguns medicamentos não chegam ao paciente do sistema público, que acaba sem os resultados esperados devido à ausência de complementos essenciais para amanutenção e possível cura de determinada doença.

O Brasil tem, ainda, problemas de distribuição. Mesmo os medicamentos distribuídos peloMinistério da Saúde enfrentam dificuldades de repasse de órgãos estaduais e municipais.Dessa maneira, o medicamento não chega até o maior beneficiado, o paciente.

Venda de medicamentos controlados sem receita traz consequências

O número de medicamentos vendidos sem receita está em constante crescente. Em 2015, estimou-se que mais de um bilhão de medicamentos sem prescrição tenham sido comercializados, o que equivale a 30% das vendas das farmácias brasileiras. Entre os produtos mais vendidos estão os antiácidos, antigripais, anti-inflamatórios e analgésicos.

No caso dos Medicamentos Isentos de Prescrição (MIPs) não há problema do uso sem receita, porém, se o medicamento for controlado e o farmacêutico vendê-lo sem reter a prescrição, as consequências são grandes. Elas podem incluir o fechamento do estabelecimento, além de risco de prisão para o farmacêutico responsável.

A venda de medicamentos sem receita ganhou, também, novos contornos na era digital. Além da autuação dentro da legislação sanitária, quem vende fármacos controlados pela Internet pode ser enquadrado em crimes presentes no Código Penal.

Moradia: Dever do Estado


Entre Nós
Jaime Porto
Presidente Sinprafarmas

Sabemos que dentre o conjunto de questões merecedoras de análise no âmbito social destaca-se a moradia como aquela que mais demonstra o quadro de desigualdade que existe entre os habitantes de uma região. A ausência de um processo de planejamento urbano eficaz faz permanecer nas cidades vazios urbanos de diferentes dimensões, associados à especulação imobiliária, a qual quase nunca é combatida. Ao mesmo tempo a formação de espaços segregados seja sob a forma das áreas verticalizadas, seja nos condomínios horizontais fechados comprova a produção do espaço urbano cada vez mais desigual, excludente e fragmentado.

Ora, a institucionalização do direito à moradia como direito social precisa ser encarada pelo governo federal, estadual e municipal como o ponto de partida para a implementação de programas de planejamento e financiamento habitacional, que contemplem preferencialmente aos brasileiros com renda familiar igual ou inferior à dois salários mínimos.

Para que isso aconteça, dentre alguns itens necessários citamos: priorizar o estímulo à construção de moradias, aquecendo a indústria da construção civil; impulsionar o barateamento dos materiais de construção; incentivar ações das prefeituras no sentido de elaborar planos de ação e planos de moradia integrados; financiar, prioritariamente, a população com renda familiar de até 2 salários mínimos e as regiões onde o déficit habitacional é maior; mobilizar os governos estaduais, prefeituras, câmaras de vereadores e as entidades da sociedade civil no sentido de valorizar o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) como imposto promotor da justiça social e da distribuição de renda nos municípios.

A moradia é uma função social do Estado, representando para o cidadão a materialização de um direto básico do ser humano. Ao ter um lar a pessoa passa a ter também acesso a saneamento básico, endereço comprovado etc. O cidadão que tem sua casa tem a individualidade preservada e mais condições de exercer um papel digno na sociedade.

Antecedentes

Conselho Superior da Justiça do Trabalho - CSJT

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

Venda de antidepressivos genéricos cresce 21%, ante 4,2% dos ‘de marca’

Visto como um mercado resiliente, que costuma sentir menos os efeitos da crise, o setor de medicamentos continua registrando alta de vendas ano a ano. Mas a combinação de recessão e o aumento do estresse colocou em destaque o crescimento da demanda por antidepressivos e ansiolíticos nas versões genérica e similar, mais baratas que os medicamentos de referência, os “de marca”.

Um levantamento feito pela Associação Brasileira das Indústrias de Medicamentos Genéricos (Pró Genéricos), a pedido do Estado, mostra que as vendas de genéricos para tratamento de depressão cresceram 21% em unidades no primeiro semestre deste ano, em relação a igual período do ano passado. Os similares, cópias aproximadas dos medicamentos de referência, apresentaram alta de 6,23%, e os de referência, de 4,22%.

O mesmo movimento se repetiu com a categoria de ansiolíticos. Enquanto as vendas em unidades dos genéricos para esta classe terapêutica cresceram 8,47%, no caso dos similares, houve retração de 2,42%. O desempenho também foi negativo para os de referência, com queda de 3,59%.

Atestado falso

Conselho Nacional de Justiça - CNJ

terça-feira, 5 de setembro de 2017

Recesso

Em virtude dos feriados:

- Dia 07 de setembro (Independência da República)
- Dia 08 de setembro (Padroeira da cidade) não haverá expediente.

Retornamos às atividades normais na Segunda-feira dia 11 de Setembro.

Para assuntos de extrema urgência ligue para 99711-2276.

Centrais afinam unidade e trabalham por MP que melhore a reforma trabalhista


Fonte: Ag. Sindical
Força, UGT, CTB, Nova Central e CSB, com o Dieese, reuniram-se segunda (4), na sede da UGT, para definir o enfrentamento à reforma trabalhista. Também foram debatidos itens da nova lei, que entra em vigor dia 12 de novembro, e meios de minimizar seus efeitos, com uma eventual medida provisória a ser editada por Temer.


Mais informações: fsindical.org.br portalctb.org.br/site/ www.ugt.org.br www.ncst.org.br csb.org.br

Zoeira!

A criminalidade e violência estão sempre em pauta mas este assunto está muito longe de ser resolvido. O aumento das taxas de criminalidade, da violência urbana e a falta de uma política de segurança pública eficaz têm levado os municípios a uma situação limite, de crise, de perda de controle pelas autoridades e de ameaça à vida dos cidadãos. Todas as esferas de vida na cidade são afetadas pelo clima de insegurança.  A área da segurança pública mais parece uma zoeira generalizada!

Ora, elaborar uma política de segurança é uma tarefa complexa. Seus custos são aparentemente elevados, ela precisa ser constantemente monitorada, revisada e atualizada e seus resultados só poderão ser notados a médio e longo prazo, envolvendo ações de prevenção, policiamento preventivo, investigação criminal, formação, treinamento e instrumentalização das polícias.

E só isto não basta. Uma firme política penitenciária tem de ser desenvolvida em conjunto com a política de segurança, fazendo-se cumprir as regras de tratamento que deve ser dado ao preso para sua reabilitação e retorno ao convívio social. Isto vale para o detento que esteja cumprindo pena, pena alternativa, prisão provisória ou liberdade condicional, em regime fechado ou aberto.

Precisamos de uma vontade política muito maior para resolver problemas tão graves e complexos.  Somente com políticas integradas, isto é: política de segurança pública + política penitenciária + políticas sociais + políticas de educação + saúde + saneamento + cultura e outras destinadas a combater as desigualdades e ampliar o acesso à cidadania poderemos minimizar os impactos causados pela criminalidade em nossa sociedade.

É bom lembrarmos que a pauta das próximas eleições exige uma definição clara acerca do papel de nossos representantes na busca de soluções para enfrentar a crise da violência urbana.

Oito mil empresas respondem por 58% dos impostos devidos

Fonte: Coluna da Mônica Bergamo na Folha de S. Paulo 
Um pequeno grupo de 8 mil empresas é responsável por 58% do total de impostos devidos no País. Juntas, elas têm débitos de R$ 670 bilhões, num total de R$ 1,1 trilhão que a União tem a receber.

O Brasil tem 1,9 milhões de pessoas jurídicas ativas e apenas 11% delas devem tributos atualmente. Os números são de um novo estudo feito pela Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional, órgão da AGU (Advocacia-Geral da União) responsável por atuar em causas fiscais.

Já no caso das pessoas físicas, apenas 2 mil das que devem pagar impostos têm, juntas, débitos de R$ 44,1 bilhões, ou um terço do total, de R$ 130 bilhões.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...